ESPELHO

 

 

 

 

 

 

 

 

olho, reolho, transolho e não sou eu mais em lugar nenhum, ainda bem, pedra sobre pedra, nada ficou do que foi, fui, a não ser um vir a ser inspirado em clavículas de focas ou desmonte de galáxias tão remotas quanto uma tribo de iguanas em galápagos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: