DESTINO

março 31, 2011

  

 

 

 

 

 

 

 

com o tempo, e um tempo vivido de uma forma abismal, tornei-me um aficcionado do acaso, descrendo por completo de livre arbítrio, auto determinação dos povos, reencarnação, carma (embora este cara tenha me dado um puta trabalho até o dia em que desnudei sua face e vi que ali vivia o mero,simples e redutor acaso), até chegar a este petulante imbecil com opiniões que briga como um selvagem pelos seus pontos de vista assim como um esquilo luta com seus irmãos pela última noz


EGO

março 30, 2011

 

 

 

 

 

 

 

 

bem que buda me avisou que o ego é mais inteligente do que o mais inteligente dos budistas, pensei, ego, airbag da mente, logo mandei meu ego catar jaboticabas (estratagema para distraí-lo), não funcionou, fingi que eu era o paulão, ele me disse “ acha que eu sou tão estúpido quanto um carrinho de autorama?” e finalmente parti para uma estratégia radical disfarçando-me de omelete, fui logo detectado, questão de segundos, ah buda, o ego tudo vê

 


FAMÍLIA

março 29, 2011

 

 

tomado por megalomaníaco excêntrico desajustado gênio derrotado cada qual com seu adjetivo e seu afeto recalcado preocupante sou expulso de casa em casa até chegar nesta cabine de navio onde passo os meus dias misturando o azul entediante do céu com o amarelo sonoro da bandeira de karmapa : o próprio cinema novo quis levar um papo comigo mas eu sou o grilo e temo sapatos vulcabrás


AVENTURA

março 28, 2011

  

 

 

 

 

possuído por legítimo delírio avisto entidades divinas em mulheres ordinárias produto de um binóculo desajustado meus olhos imersos numa comoção sangrenta antevêem os primeiros movimentos de um filme cujo nome ah o nome é o que nunca foi visto e jamais será, primeiros indícios da minha magnífica pretensão

 


NO FLUXO DO RIO DE PENSAMENTOS

março 28, 2011

 

 

 

 

 

intensos clamores chamavam-me em direção às duas antenas verdejantes, ali instaladas em pasto cósmico, e eu, tão distraído e consciente , “hei, humano, quando haverá de me pisar com seu sapato vulcabrás? enquanto viaja em seu cogumelo parece um cavalheiro”, meio dia, um sol de judas, minha face de suores, uma claridade anti-retina, e o grilo, levando aquele papo

 


ILUMINAÇÃO

março 27, 2011

 

 

 

 

 

zelo pela minha imperfeição, por todos os desvios que são enfim os caminhos por onde andamos, desde sempre, pelo descrédito e as tartarugas em pistas de autorama, pelas paisagens inauditas, impossíveis e por todos os amores inviáveis, inalcançáveis, estúpidos, redentores


CINEMA

março 24, 2011

 

 

 

 

 

 

 

 

era um dia de sol e todos andavam em seus submarinos através das paisagens aquosas enquanto eu e meu rinoceronte sonhávamos novas formas atômicas pelo simples prazer de passar o tempo em contato com algo interessante, engraçado, inusitado, ah sim, a originalidade em sua extensão mais egoísta, nunca fui com a cara de religiosos previsíveis receituários da mesmice entediante