aurora


Passou pela minha vida um som e um carro deslocado da estrada. Depois o dia nasceu. Dois olhos. Uma lua. Um sol. Só depois eu nasci. Com Mercúrio na crista. O dia. O raiar. Quando o som entrou. E o silêncio? Mas o carro. Sim. O carro passou. Devo dizer que o meu ouvido já era um ciclone de sensações. Depois passou um carrinho. De sorvete. Um cavalo. Tátétátétáté. Quando o Sol já ia alto. Devo dizer: meu desejo já era um baú de sensações. Seus seios. E o leite. Mas o carro. Passava. Passava. E depois a primeira noite. Estrelas. Cobertores. Sonhos deslocados. Reais demais. Depois o pó. Caindo. Lento. Sobre a luz da aurora. E uma saudade. Sim. O carro passou. E me deixou. Aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: