formigas não matam bodhisatvas

fluxo de espelhos na avenida
perfilar de saúvas no canteiro central
vagalumes desligados e pernilongos indolentes
ensaiam pela última vez
a dança dos insetos que não deram certo

casais de gafanhotos acrobatas
gritos histéricos – monocórdicos
emas: lhamas
um passar exagerado na intrigante fauna terrestre
eis o que basta para um homem:
ver-se em formigas.

em breve
iniciar-se-á o ciclo da iluminação humana
inevitável único caminho –
o tempo é uma luz por demais soberana
independe de nossa vontade
reina naturalmente:

formigas são estrelas no firmamento

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: